22 de agosto de 2015

uma finissage



A exposição Alma Mater estava marcada para terminar no dia 7 de Agosto. No entanto, a data de término foi reagendada para a próxima semana dia 24 de Agosto. A razão: ter a possibilidade de replicar com os desenhos originais, a instalação do projecto Rede realizada na Bienal de Cerveira.
A exposição Alma Mater ficará então completa com o trabalho que vou activar na próxima quarta feira. E termina, por devir.

20 de agosto de 2015

1 de agosto de 2015

Pietá







Pietá (nº2) foi realizada em Lisboa, entre Novembro de 2014 e Janeiro 2015 sobre tela com as dimensões de 50.0 x 60.0 cm usando acrílico, tempo e cinza.  O quadro esteve exposta na galeria/atelier Manteigaria aquando da minha exposição individual denominada como -Pão- integrando o corpo de trabalho apresentado.








Este trabalho teve como ponto de partida as várias reproduções de Pietá e durante a fase final da sua concepção ficou escrito:
«Na contrariedade, Pietá encerra também uma intenção de reencontro. Tem desejos de bálsamo de dor. Intenções de humanidade e compaixão. Pietá é antagónica na sua génese. Porque um pai não deve não pode não é suposto perder um filho. Anti-lógica por contra-natura. Mas acontece. Os desastres teimam em acontecer.  A incompreensão teima em matar. A esperança não matará. A minha representação de Pietá, ao contrário de uma exploração da dor, da carne ferida, da personificação de Cristo e Maria em exploração da dor da perda, é em passo ponte de onde outro imerge inerte indo, onde num momento um dia nasceu. A unicidade entre Pai e Filho, entre Amor e Vida.
Foi-me entregue, foi o que emanou ser na liberdade de um processo único; entreguei. Libertou-se. Libertei-me. Consegui.
Grato, imenso.


Olival, 24 de Março. 2015.»



Afiche



25 de julho de 2015

8 de julho de 2015

Alma Mater


facebook.com/events/1610350765894372/

3 de julho de 2015