17 de fevereiro de 2010

Torreão


 
20:18. 22 de Agosto de 2009.
Lisboa. Castelo de São Jorge.

Independentes, duas sombras são arrastadas uma na direcção da outra. Dois caminhos independentes. Duas vidas independentes. Um final de dia no castelo e dois dentes de leão. Visita, passeio, um encontro visão no torreão. Aproximação. Identificação. Paixão. Identidades reflectidas e idades subjectivas. Vivências de profundidades de paisagens atraídas por um olhar para a História passada de pedra em frente. Fixação de luz. Profundidades localizadas em dois crescimentos bem localizados. Um amor anunciado e bem escrito no passado como o teu retracto apaixonado de Lisboa por Lisboa. Depois o dito real tempo passou. E o castelo fechou. Ficou noite, e encerrados lá dentro sem a forma de poder sair, disseste-me que comigo e apesar dos fantasmas, não haveria mais medo. Acreditei. E até hoje acredito porque mesmo sem nada e fechados sentimos que juntos temos tudo. Depois sai-mos para a rua e foi verdade.


6 comentários:

Quinito disse...

belleza!

Ana disse...

está tão linda a sereia :)

aiphos disse...

Em passeio frio, tão frio, pelo Porto, vi-te. Em cavalo. Devir.
E apresentei-te.
Re.Vi.Te.

Anónimo disse...

Manha Madrinha Mar

Filipa Carvalho disse...

Que LINDA!!!!!!!!!!!!!!!!

Lisa disse...

Hello, I was just Blog-Hopping and ran across your blog. Very Nice!

Be Well...