20 de novembro de 2016

O.F.F.365

Operação Fino Feno (O.F.F.365) é um projecto diário de investigação que viu o seu início no dia 1 de Janeiro de 2015.

Durante os 365 dias de 2015, foi produzida uma obra em formato A5 (14,8 x 21cm) correspondente a cada dia do ano de 2015. Se tal não aconteceu, uma «dívida» ficou por realizar e como tal foi reposta posteriormente partindo de notas agendadas, apontamentos, recolha de materiais e registos fotográficos.

Para o efeito foi usado carvão, grafite, aguarela, acrílicos, óleo, pigmentos vários, fixadores, fotografias originais, recortes, carimbos e moldes de forma conjugada ou não.

Ao longo do ano, 20 folhas foram entregues a artistas com quem estive, trabalhei e conheci para que amavelmente me auxiliassem e com o seu contributo para o volume anual.

O.F.F.365 não é um diário gráfico ou caderno de estudos. Cada dia foi iniciado com a intenção de compor uma obra a partir de uma ideia/conceito. Não são os estudos, necessários em alguns dias/obras, são a arte final cujo resultado, ficou fechado e assinado. Cada dia/obra constitui um momento de criação único e ao resultado desta soma pode ser chamado de monografia, mapa, colecção, catálogo, livro ou enigma.

9 exemplos de dias/obras: 1, 3, 8, 14, 20 e 25 de Jan. 4 e 11 de Fev.


Este projecto teve o seu primeiro momento expositivo integrado na primeira edição do festival Paratíssima (20 a 24 de Julho de 2016). Uma intervenção no espaço público realizada em Lisboa no Largo das Escadinhas de São Miguel em Alfama.

Vistas da parede a intervir. Antes e medidas. 


Simulação da integração do projecto apresentada no dossier Paratíssima 2016.




Vista do resultado da intervenção O.F.F.365  em papel impresso. 20 de Julho de 2016.
Tomo I, II e Descritivo. Cada dia/obra foi reduzido em 3% relativamente aos originais.

Volvidos 57 dias desde a sua instalação passei a considerar o largo das escadinhas de São Miguel em Alfama um lugar muito especial. Ali passei o verão de 2016. Todos os dias observei e analisei as várias dinâmicas do espaço e a integração de O.F.F.365. Dia após dia representei o projecto, integrei-o em várias as línguas e linguagens para as mais distintas sensibilidades como um fruto de Lisboa. As centenas de pessoas que conheci e reconheci directamente pelo trabalho realizado constituíram uma experiência que não esquecerei. No oposto de um ano de  atelier em estudo, produção e arquivo; a aprendizagem retirada da análise do feedback directo no espaço público foi surpreendente.

Volvidos os 4 dias do Paratíssima foi-me dada a liberdade de manter e continuar a representar a instalação. Tinha início a segunda fase do projecto. 

O.F.F.365 e eu fomos integrados, abraçados e protegidos por toda a comunidade envolvente do bairro. Estimo ter sido vista, fotografada e analisada no local por cerca de 50 mil pessoas, que durante todos os dias e noites subindo ou descendo as escadinhas de São Miguel foram surpreendidas pela integração de uma intervenção com as dimensões, cor, conceito, diversidade e liberdade de expressão de O.F.F.365. Uma «surpresa», que pela sua complexidade e estrutura cronológica por norma seria vista em galeria ou museu e certamente por um público mais restrito. Por isto, tenho de referir pioneirismo e devo o meu agradecimento à organização do Paratíssima, pela possibilidade de integração do espaço público elevando-o a galeria a céu aberto na zona histórica de Alfama e gratuitamente acessível a todos os públicos.

14 de Setembro. O.F.F.365 esteve exposta ao público durante 57 dias. Contudo, com as primeiras chuvas e sem protecção, toda a instalação ficou bastante danificada tendo de ser integralmente removida.














Sem comentários: