16 de março de 2010

Cacilhando V


falsepeed about...


 Cacilhando 1. A primeira reprodução do projecto Cacilhando em platex. 1 de Junho de 2008, ainda em minha casa.





Uma folha de folhas com um mapa e um marcador. Cada tela deste projecto de pintura teve direito a um mundo diferente em formas e proporções. Um corte diferente como base de navegação é o que distingue cada uma das 4 peças. O barco consistiu no mesmo stencil de 4 layers e esta é a folha que vou passar a cortar dentro dos próximos 3 dias.


Pelo meio e para intervalar um bocado pinto a base de pintura sobre tela. Três de mão e


...volto ao bisturi.


atmo spheric?


Lisboa. Portugal.


 Transformação e temperatura.


Bricklane heat.


Almost steady...


Somewhere between Colombia and United States...


Afinações siberianas.


s.t.


 Apontamentos de viagem.


E chegada ao destino sobre a tela.
Terminar de cortar exige pintura de seguida. Não são dois processos. É uma sequência. É impossível terminar e não pintar. Quanto mais tempo de corte, Tanto maior a vontade de ver o resultado depois da estreia.


Um segundo antes do início da pintura de um novo mundo. O V.


Sol e Aero.


Equador.


Calafrio soviético.



Men at work.


3 do 3 de 2010. 20:29.


Check



 Double check...




Triple Cheque.

Orgulho. Emoção construtiva. Alegria e fotografia.



Se algumas imagens me metem medo?
- Não lhe chamaria medo. Mas é. Acho que é uma emoção que como o medo me despoleta instinto.No meu caso de procura. De pesquisa direccionada para o que nunca vi. Basicamente, surpreendo-me e retiro um gozo de puto a trepar para outro ramo mais acima de uma árvore com uns 36 metros de altura. E parecem coffettis de neve que de repente saltaram de todos os cantos do mundo e com delicadeza aterraram nas minhas mãos e hoje provei um bocado do que deve sentir Lisboa.



No cavalete. Ao quarto dia.


Design. Vector. Começa aqui o redesenhamento da composição do barco. Do cacilheiro. Todas as suas linhas foram revistas. Reequacionadas quanto á sua forma, espaço, equilíbrio e vibração. Percebi que nesta altura precisava de outra coisa. O stencil foi substituído por pintura. Era necessário outra energia, uma leitura diferente. Actualiza-lo no todo e detalhe. Também aqui, se não se verificarem quaisquer entraves, a mudança, a diferença, flui por si só.


Print help 1.



Optical confort.


Base, outline de pintura e radio comunicações.


E veio o dia de Feira. Arts & Crafts. Jardim da Estrela. Domingo de bom tempo. O processo parou. Teve de apanhar o ar. De apanhar outra luz. De abrir um precedente. De mostrar. De dar. Vender. E receber. Tanto por tão pouco. Obrigado e até logo.


Voltar à navegação. Brush processor. Para trás. E para a frente. Para trás e ...


Orange?


Grey?


...and black, 2 dias depois.
 Surrealismo? Talvez. Claro. Como não? É necessário. Estou vivo e vejo.


A habitual fotografia com a obra feita.


.


dEPOIS, a tela é intimamente fotografada. Porque no fim da viagem é bem provável que só reste isto. A outra margem. A depuração fotográfica agora photo graphica. A interacção entre o mim pintor e o mim fotografo é a melhor porque se complementam. Pinto matéria prima para luz e todo o seu processo de captura. E no final deste já longo processo temos a essência por equilíbrio. A revelação das minhas photo graphias do que foi descarregado na tela. E se virmos bem, a volta ao primeiro momento de captação de um cacilheiro no Cais de Sodré. E a visão de um mundo mundos por onde se quisesse poderia navegar. Click.

***

Conceito, fotografia e pintura: Devir
Inspiração, telepatia e fotografias: Rita Graça

***
Alvalade, Março de 2010

7 comentários:

Rute disse...

Amazing Devir. : )

Quinito disse...

bello
muy
lindo

ana disse...

ui .... estou no trabalho e acabei de fazer uma trip dos diabos ... muxas gracias :D

Diogo Dias disse...

muito, muito bom mesmo


fiquei mesmo surpreso e rendido


parabéns

Diogo Dias disse...

(o outro comentário é meu também mas com outro blog, este é o de agora)


adorei o trabalho, mais uma vez

ADRES disse...

Bruto! Grande trabalhinho.
Acho q posso dizer q foste uma influência, já q em Lx o q via de stencil era quase tudo teu.
Parabéns pelas fotos e pelo trabalho.
Abraço

Caçador disse...

Boa tarde
Ora vê lá se isto é teu, que é para eu por lá o nome. O seu a seu dono.
Fica bem.

http://cidadetatuada.blogspot.com/2010/04/cacilheiro.html